Arquivo | setembro, 2014

Google pode usar programas de tv como fator de rankeamento

30 set

shutterstock_204241390

 

Com o comportamento cada vez mais latente de segunda e terceira tela, o Google, que não é bobo, acaba de patentear a ideia de usar o que você está vendo na Tv como um fator de rankeamento na busca. Funcionaria da seguinte forma: O Google vai monitorar o que está sendo exibido na área onde o computador/tablet/smartphone está. Se a palavra-chave que você está buscando na ferramenta bater com o monitoramento: PIMBA! Ele disponibiliza o produto pra você.

Pra ser mais prática: Você está assistindo a novela das 9, rolou um product placement de um carro da Nissan, você pegou o celular e pesquisou “Nissan”, o Google vai identificar que você está assistindo tv, viu o anúncio e vai te mostrar aquele carro específico da novela, talvez até com algum desconto ou promoção.

tv-as-ranking-signal

 

Testes feitos por internautas constataram que smartphones que tem habilitado Google Now, podem identificar quais programas de tv estamos assistindo. Veja esse vídeo:

Não sei se isso funciona aqui no Brasil, mas abre possibilidades enormes pra marcas.

De qualquer forma, pensando como consumidora e não como publicitária, o que podemos concluir, de um modo geral, é que os conteúdos estão cada vez mais segmentados, H2H (isso já não é novidade) e que, no meu ponto de vista, o consumidor perde muito com isso. Perde a possibilidade de conhecer coisas novas, de mudar de opinião ou de simplesmente navegar pra descobrir uma coisa nova. Tudo vai ser baseado no seu interesse, mesmo que você não queira.

 

Vi isso lá no seobythesea e no conversion

Anúncios

Crie valor. Seja útil. Seja RELEVANTE.

25 set

RELEVANCIA

Soa meio clichê falar em relevância no digital/social, mas quero compartilhar um ponto de vista com vocês.

Criar relevância é fazer com que a marca saia da sua zona de conforto (seu domínio) e entre dentro do contexto das pessoas. Isso cria valor e significado.

Um exemplo, bobo : Este ponto de ônibus no Parque do Ibirapuera em São Paulo.

ponto de onibus pq ibirapuera

DOMÍNIO DA MARCA:

Dentro da zona de conforto dos designer que criaram esse ponto de ônibus, ele é lindo, todo de vidro, o usuário de ônibus consegue ter uma visão ampla de tudo e, no papel, ele seria PERFEITO.

CONTEXTO DAS PESSOAS

Mas e na prática? E no contexto dos “consumidores”, cidadãos? Ele não tem relevância nenhuma e até causa uma certa irritação. Ele não te protege do sol, da chuva, ele deixa quem está ali totalmente vulnerável a qualquer tipo de violência, tem pouco banco pra sentar e enfim, ele não cria significado e nem relevância pra ninguém.

Da mesma forma, pense no estratégia/conteúdo que a sua marca insere no social/digital. Crie valor. Seja útil. Seja RELEVANTE.

exemplo tirado do S+ Bootcamp – Redes Sociais com Ana Laura Mello 

O Twitter morreu mesmo? Acho que não.

25 set

Fala-se muito em O TWITTER MORREU.

Mas será que isso é realmente verdade? Eu particularmente acredito que não. Se realmente fosse verdade, não haveriam records a serem quebrados na Copa do mundo no Brasil, por exemplo.

Copa do Mundo de 2014 bate recordes históricos nas redes sociais - Notícias - UOL Copa do Mundo 2014 2014-09-25 09-47-47

Olhar Digital- Copa do Mundo gera recordes nas redes sociais 2014-09-25 09-48-27

fontes: olhar digital e uol

Eu uso bastante a plataforma e tenho vários amigos que também usam. Talvez como uma forma de mini diário, de mini divã pra reclamar de alguma coisa ou pra saber das últimas notícias do mundo. Mas como inserir a sua marca dentro de uma plataforma que tem usuários tão peculiares? Onde a ZUERA REALLY NEVER ENDS? Onde, pra ser escutado, eu acredito que, sua marca tenha que escutar e se relacionar com o usuário (e não com o consumidor) no modo mais claro do que isso possa significar pra você.

Acredito que o desafio de fazer com que a sua marca use o twitter de forma estratégica seja ainda mais difícil do que utilizar o Facebook, por exemplo. NÃO. EU NÃO ESTOU FALANDO DE MARCAS FAZENDO PIADINHAS, RESPONDENDO ENGRAÇADINHO, OU FAZENDO BATALHA DE RIMAS. Isso pra mim não é estratégia. São casos esporádicos onde o community manager teve uma (as vezes) boa sacada de como responder um usuário qualquer.

Estou falando de criar uma estratégia para usar o twitter de uma forma diferente, que realmente faça o usuário querer te dar um follow, conversar com a sua marca e se identificar com seu conteúdo.

Hoje eu achei uma marca que faz isso. E MUITO BEM.

A Remix Social Ideas  (agência que se você trabalha com digital/social tem a obrigação de conhecer) tem uma estratégia diferente e ao mesmo tempo super bacana. A estratégia é mostrar o knowhow da agência pra seus clientes/prospects (e nós do mercado), dando dicas, conselhos, mas utilizando o que há de mais lindo nessa internet: GIFS.

Todos os tweets tem uma frase sobre social/digital + um gif que ilustra isso.

Olha que sensacional.

 

Vá além do monitoramento de marca.

24 set

Monitoramento Além Da Marca- Mapeando Temáticas E Mercado, com Mariana Oliveira e Cezar CUnha por Locaweb - Eventials 2014-09-24 16-14-11

Mariana Oliveira faz parte do grupo de pessoas a seguir nas mídias sociais. “Conheci” ela no Social Media Brasil de 2012. Ela, junto com a Pri Muniz palestraram nessa época sobre monitoramento e me fizeram ter outra visão de mercado e trazer isso pra Uberlândia na época de uma forma mais analítica e profissional. Desde então já fizemos monitoramento de um grande ecommerce nacional, de uma universidade que tem 9 campus espalhados pelo país, de um senador e de outras empresas nacionais e locais com resultados bem interessantes.

Em suma, Mariana, que hoje é Gerente de Data Intelligence na Ogilvy, falou no #smwsp essa semana e no vídeo abaixo ela fala sobre como usar o monitoramento pra criar uma base pra estratégias e planejamentos, monitorando universos de conteúdos, temáticas e mercado, falando sobre como explorar as ferramentas de monitoramento pra ir além da análise sobre o que as pessoas falam sobre sua marca, dando exemplos como Neymar, ativações, Friboi, influenciadores, jornada do consumidor, monitoramento por geolocalização e muito mais.
Logo depois o Cezar Cunha fala sobre como a ferramenta coleta e quais os tipos de análises e parâmetros que podemos fazer observar pra fazer com que dados se transformem em conhecimento.

Essa palestra mostra bem o nível que o mercado de verdade está. Aquele lá de São Paulo, onde tem os profissionais bons e onde nascem mesmo os grandes cases e ideias do mercado.

Ou seja, se a agência que faz o monitoramento pra você, não procura investigar e te trazer outros insights a partir do planejamento, CORRE QUE É CILADA BINO. Procure sempre profissionais que entendam de estratégia, antes de entenderem da ferramenta. Se precisar, entre em contato! =)

#valeoplay Clique na imagem pra conferir

Monitoramento Além Da Marca- Mapeando Temáticas E Mercado, com Mariana Oliveira e Cezar CUnha por Locaweb - Eventials 2014-09-24 16-16-34

 

UPDATE: A Mariana liberou o slide no slideshare: =D

 

Análise sobre comportamento nas Mídias Sociais

23 set

tarujo

Desde que comecei a trabalhar com Mídias Sociais (por volta de 2010), e pude a ir a cursos em SP, comecei a conhecer mais de perto os “players” mais importantes daquele cenário por lá. Pessoas comuns, que trabalham em boas agências e que são ativas, profissionalmente falando. A partir disso, comecei um processo de stalker nível Sherlock Holmes com algumas dessas pessoas. Uma delas foi um cara que se chama Tarcízio Silva (@tarushijio), um dos caras mais fodas em monitoramento e métricas do Brasil. Não vou falar muito sobre o que eu sei da vida dele, por que pode te assustar um pouco! heheh Mas o mais importante é que seguir esse cara já me proporcionou vários insights importantes pra jobs que já fiz em relação a essa disciplina.

Por isso, como o objetivo deste humilde blog, é compartilhar informação relevante pra quem trabalha com Digital, compartilho hoje o ppt da palestra dele no #smwsp sobre Comportamento nas Mídias Sociais.

 

Divirtam-se!

Inspiração – Storytelling #1

23 set

Love story in milk

Eu tenho sempre um ritual pela manhã. Meu celular desperta 4 vezes (com sonecas de 5 min), acordo, fico mais uns cinco na cama vendo o que tá passando no jornal Bom dia Brasil (melhor jornal na minha opinião), ponho roupa, as vezes como em casa as vezes não, e vou trabalhar. Mas o ritual começa mesmo quando eu chego no trabalho. Aí, começa a caça ao conteúdo relevante pra inspirar meu dia. Nessa hora valem todas as fontes: até sensacionalista entra na roda. Geralmente encontro muita coisa no twitter e facebook, mas o meu dia não começa de verdade antes de eu encontrar uma matéria, um vídeo, um gif que me inspire.

Hoje a inspiração vem da palestra do Bruno Scartozzoni no #smwsp sobre storytelling

Um vídeo que resume bem o que é contar uma história e fazer com que as pessoas se identifiquem, se emocionem e se ponham no lugar do personagem. Onde a arte se confundi com a publicidade. Muito bom! Confere aí! Love story in milk vale muito o play!

 

 

Pra conferir a palestra na íntegra (e tem muita coisa boa lá), clique aqui.

8 dicas básicas para qualquer social media

22 set

Ser “social media” hoje em dia não é tarefa simples. Ter que se atualizar constantemente (mais rapidamente que provavelmente todo o mercado), aprender novas guidelines das plataformas, conhecer as diversas opções que temos, analisar tudo o que falam da marca e ainda entregar um puta ROI pro cliente, se não já era.

O que todo cliente tinha que ter consciência é que Social Media não é um processo. É um organismo. São partes que trabalham para o todo funcionar. Então, meu amigo, não adianta você ter um atendimento muito bom, se o seu conteúdo é de merda, ou se suas métricas estão erradas. Se a agência que você contratou, só te entrega o mínimo necessário, então os seus resultados também seguirão a mesma lógica.

Por isso, resolvi criar algumas dicas pra gente trocar ideia e evoluir os profissionais (principalmente os júniores) desse mercado.

Não é muito, mas já é válido.

8-DICAS-PARA-QUALQUER-SOCIAL-MEDIA